Uma das alavancas de engajamento é a prática de reconhecimento. O reconhecimento entre colegas tende a promover um ambiente colaborativo e de maior empatia. Perceber o reconhecimento dos colegas de trabalho pode ser um fator motivador e estimulante para obter times de alto desempenho, portanto fornecer as ferramentas necessárias para que haja a troca formal e facilitada irá concretizar esta prática.


  • Estimular troca, apresentações e talks entre os times 

Ter um espaço para protagonismo do colaborador, onde possa ser compartilhado trocas e apresentações do que está sendo feito e quais os desafios vivenciados. Assim, todos na empresa podem ter o conhecimento da importância e relevância de cada área/time.

“Acho que não houve um reconhecimento dos meus colegas porque eu não mostrei meu trabalho ou tarefas. Apenas o     setor de (...) teve acesso às tarefas que cumpri.”

“O maior problema que enxergo não se dá na questão de reconhecimento, mas sim porque a maioria das coisas que são feitas não são mostradas ao time. Fazendo disso o principal fator para que não sejam reconhecidas."

“As áreas não tem tanta integração uma com as outras, e já existiu uma comunicação interna que dava um pouco mais de visibilidade para o trabalho das áreas. Hoje os reconhecimentos são bem pontuais quando ocorrem. Entre a própria área existe o reconhecimento numa esfera mais informal no dia a dia, mas também não vejo como algo satisfatório.” 

"nao por todos, mas o que que possuem maior proximidade no dia a dia Creio que um pouco do nao reconhecimento seja o problema cronico de comunicacao que temos na empresa"

  • Cultura de feedback contínuo

Empresas que possuem cultura de feedback contínuo tendem a ter maiores trocas entre colegas e equipes, aumentando o sentimento de reconhecimento.

"Sim! Sempre temos um feedback com relação à isto e/ou pontos de melhorias. Ajudando no desenvolvimento pessoal e profissional."

"Sempre damos o mérito para as pessoas responsáveis. Não podemos perder isso nunca!"

"De maneira geral, desde a qualidade dos briefings - quando bem executados - até as entregas finais e participação em apresentações têm sido reconhecidas, tanto pelos colegas de equipe da minha área e das outras, quanto pelos superiores. É muito interessante a dinâmica dessa troca de feedbacks ser algo inerente à equipe que acontece de forma natural."


  • Exemplo da liderança para a prática de reconhecimento

É essencial que a liderança pratique e estimule a prática de feedbacks e reconhecimento. Mesmo a pergunta sendo focada nos colegas, a liderança foi citada para exemplo positivo ou negativo, refutando ou corroborando com a prática.

"De fato são reconhecidas por colegas. Pela minha gestão imediata ou pela diretoria, não tenho certeza, pois em seis meses, não recebi muitos feedbacks espontâneos."

"Pelo colegas sim, pela liderança não. Os líderes não estão preocupados em incentivar uma entrega com excelência que é um dos valores do [Empresa], mas sim o volume. O que acaba frustrando os funcionários gerando falta de reconhecimento."

Sentimentos identificados


As entregas são vistas como triviais e rotineiras, portanto, não há mérito nos acertos. São apenas apontados os defeitos. 

“Nosso serviço (DP) é como uma obrigação. Se foi feito, não fazemos mais q a obrigação. Ele é realmente notado quando erramos ou deixamos de fazer... Isso não é bom, pq como não é reconhecido como importante e sério, não temos o suporte necessário e se solicitado é negado, apesar de extremamente vital para continuarmos trabalhando corretamente.”

“De modo geral as coisas bem feitas ñ são vistas, mais basta vc cometer uma falha que todos enxergam”

“Na maioria das vezes são sim. Apesar de que em algumas situações parecem que passam em branco, as pessoas as vezes agem como se tudo que você faz seja apenas uma obrigação. Sinto que este é um problema comum na sociedade, todo esforço é importante, como também é válido sentir-se agradecido, por mais simples que seja a tarefa, se está agregando conhecimento, seja expondo suas ideias e opiniões, a atenção dispensada é de um mínimo de reconhecimento e respeito.”


Há um ambiente e cultura de competição, o que resulta em falta de reconhecimento: 

“Existe muita competitividade e muitas vezes falta de camaradagem entre os colegas.”

“Na grande maioria das vezes, não. A troca de experiências não é estimulada no time. A visibilidade do trabalho individual de cada profissional não é fomentada pelo gestor do time. Também não temos oportunidade alguma de apresentar os próprios projetos para outras lideranças, os projetos são sempre apresentados pelo gestor. Essa falta de reconhecimento dos colegas de time tem gerado um certo sentimento de competição, o que é ruim pois gera insegurança profissional, falta de troca de conhecimento, não gera engajamento da equipe, e na maioria das vezes dá a sensação de ter várias pessoas no mesmo barco remando em direções opostas.” 


O reconhecimento dos colegas estimula entregas de alto nível 

“Sim e é super legal não para ego pessoal mas sim por perceber que mesmo as tarefas menores impactam muito na rotina dos demais. E isso, faz com que a gente queira entregar sempre entregar perfeito mesmo que seja só uma tarefinha.”

"Já recebi feedback's legais pelas entregas, na minha opinião, isto motiva muito a cada vez mais buscar o aperfeiçoamento profissional." 


Reconhecimentos de acordo com o nível de proximidade e visibilidade

“São comentadas um pouco. Não é frequente, até porque eu também não sou de comentar muito as tarefas dos outros, mas na medida do possível são reconhecidas. Vejo que ganhamos comentários, reconhecimentos, se somos sempre lembrados, se mostramos que existimos, pra sempre ser lembrados pelos outros. Por eu ser mais quieta e não fazer tanta questão de ser vista ou lembrada, mostra o retorno que tenho que é pouco. Mas normal isso, cada um tem seu jeito de trabalhar.”

"Não me sinto reconhecida devido aos FAVORITOS que no setor. Isso é muito desmotivante."

"Os pares que são mais próximos a mim reconhecem e sabem, assim como meu gestor e meus analistas. Porém, os outros pares não, e têm uma tendência a achar que o trabalho do outro é sempre mais fácil."