A construção da imagem da empresa passa pela visão das pessoas internas e externas. Por esse motivo é importante tentar manter alinhada as duas percepções: pessoas colaboradoras e clientes devem ter a visão mais similar possível sobre a organização. Para construir essa visão vale apostar em transparência e coerência dos posicionamentos, alinhamento da experiência da pessoa colaboradora e experiência do cliente, além de trabalhar a comunicação e presença da marca.


Melhores práticas

  • Ter transparência

O melhor caminho para alinhamento entre a imagem de mercado e a imagem das pessoas que trabalham na empresa é a transparência e coerência dos posicionamentos internos e o posicionamento de mercado.


Sim. "Acho a empresa muito transparente e o que ela pratica dentro de casa é a mesma imagem que ela passa ao mercado." 

Sim. “Sim, a [Empresa] é uma empresa muito séria, inovadora, e transparente, com isso o mercado tem exatamente essa visão.”

Sim. “Sim a [Empresa] é muito coerente, e ela se mostra para o mercado como ela realmente é”

Sim. "Acredito que sim visto que a empresa passa total transparência e seriedade tanto a nós, colaboradores, quanto ao meio em que atua."

Sim. "Com transparência que a empresa vem trabalhando e aplicando, cada vez mais o mercado percebe tudo que a empresa está desenvolvendo e trabalhando para o bem estar das pessoas, comunidades e companhia."


  • Alinhar a experiência do colaborador e experiência do cliente

A experiência das pessoas colaboradoras e clientes devem andar juntas, uma vez que as percepções internas e externas estão relacionadas. Pessoas colaboradoras engajadas são as promotoras da marca, ou seja, elas irão indicar produtos e serviços da organização. Ao trabalhar a experiência do cliente interno, estamos também zelando pela experiência do cliente externo.


Sim. “Eu acredito muito na empresa, no propósito e no produto e sempre que converso com alguma candidato, por exemplo, ele vem com uma percepção semelhante à minha, ade acreditar, de querer fazer parte.”

Sim. "tem um lado que eu acho que sim e outro que não. Um exemplo disso, é que nem sempre vejo um foco na experiência do cliente externo e interno como é vendido para o mercado. Em relação ao cliente externo, os problemas que estão acontecendo no CS acaba impactando no cliente e isso não é bom, no caso do cliente interno temos alguns pontinhos que acabam impactando na experiência como um todo, o caso da entrega das máquinas é um deles, os processos, a comunicação que impacta o trabalho do dia a dia e deixam os [colaboradores] insatisfeitos. Enfim, o que passamos para o mercado nem sempre é colocado como prioridade dentro da empresa e isso me preocupa, já que a experiência deveria ser a base para tomada de decisões em alguns momentos"

  • Aumentar a visibilidade da marca

Trabalhar a percepção da marca nas mídias pode ser um dos caminhos para consolidar a visão das pessoas sobre os valores da organização. Ao apostar na visibilidade da marca, impactamos tanto o público externo: cativando clientes, novas pessoas candidatas e promotoras; quanto o público interno: engajando as pessoas colaboradoras e gerando promotores dentro da própria organização.


Sim. “Com base nos canais que eu sou impactado, acredito que sim.”

Sim. "Acredito que a imagem do mercado é similar com a minha, pois antes de fora da [Empresa], eu conseguia enxergar como uma empresa com um ambiente maravilhoso e muito conhecimento. As redes sociais sempre auxiliando em conteúdos para todxs. As chances de você crescer junto com a empresa que reconhece seu valor, também é bem visto."

Não. “Creio que falta melhorar um pouco a comunicação institucional da marca [Empresa]. Poucas pessoas entendem a proposta da empresa.”

Não. “As pessoas que não conhecem quando tem contato gostam bastante do primeiro contato com o site e modelo de negócio. As pessoas que já conhecem a marca são encantadas com os produtos e vêem a marca como representando uma empresa grande.”

Não. “Eu sinto que nós ainda não conseguimos apresentar ao mercado quão consolidados nós somos no nosso segmento”

Não. “Acho q o mercado poderia ter uma visão mais clara dos nossos serviços.”


Sentimentos identificados


  • Não saber qual é a imagem que o mercado tem da empresa

Não. "Não sei qual é a imagem que o mercado tem da empresa, mas eu tenho uma imagem positiva que tem potencial pra crescer ainda mais!"

Não. "Não sei exatamente qual é a imagem que o mercado tem da empresa. Mas imagino que não, até pq meu envolvimento com a empresa é diferente do envolvimento do mercado."

Não. “Aqui dentro enxergamos o todo. O mercado ainda não enxerga, mas com nos próprios funcionários explicando e apostando em mídias digitais isso se reverterá.”

Não. “Não consigo avaliar ainda qual é a percepção do mercado em relação à [Empresa].”

Não. “Eu não sei qual a imagem que o mercado tem da nossa empresa”


  • A vivência interna é melhor do que a imagem externa

Não. “Acredito que tenho uma visão ainda melhor da [Empresa], do que o mercado. O ambiente de trabalho e as pessoas, elevam as características positivas de posicionamento de mercado da [Empresa].”

Não. “O reconhecimento que a empresa tem pelo dito "mercado" não é compatível com a realidade da [Empresa], que é uma empresa excelente tanto em seus serviços quanto para os colaboradores. Merece maior reconhecimento do que têm”

Não. "Creio que não, mas isso não é necessariamente ruim. Quem vê de fora acaba que não sabe como é o clima dentro da [Empresa], como a liderança se preocupa com os colaboradores, etc, sabem o que a [Empresa] vende, apenas."

Não. "Acredito que os valores da marca são maiores que a percepção do público"


  • Imagens positivas

Sim. “Vejo a [Empresa] de maneira bem positiva, fato esse que coincide com os comentários que vejo em publicações da empresa, que também são sempre positivos.” 

Sim. "Sim, consigo sentir isso ao conversar com pessoas que conhecem a empresa e que tem vontade de trabalhar na [Empresa]. A visão que elas possuem  sobre a empresa está bem próxima ao dia a dia que vivo!"

Sim. "Cada vez que vejo os stories no instagram sinto que o espírito de criação e desenvolvimento de novidades está muito alinhado, sempre pensando nas soluções ideais para os [clientes]. Focar no cliente é muito importante"