Uma das principais alavancas de engajamento é gestores e gestoras preparados para os cargos que exercem. O Projeto Oxygen do Google identificou quais são as características que tornam um líder um bom líder. 


Há uma visão antiquada de que as pessoas precisam separar o pessoal e o profissional. Mas o que vemos na prática é que com o avanço da tecnologia e das ferramentas de comunicação é cada vez mais difícil dissociar o que é pessoal e profissional. Dentro desse contexto e do projeto Oxygen do Google, identificamos que as melhores práticas para ser ter um relacionamento saudável entre líder e liderado são: 

  • Feedback 1:1 frequente:

Pessoas que têm o sentimento de que recebem feedback assertivo com frequência, tendem a ter relações mais saudáveis com o líder direto. Aqui tem apresentação da jornada de feedback 1:1 e aqui um modelo de jornada de feedback 1:1. Indicamos como base o livro Radical Candor da Kim Scott. 

"Apesar do momento atual de isolamento social, o relacionamento com os gestores está mais estreito e acabou gerando mais confiabilidade entre colaborador e gestão."

  • Líderes dão autonomia para os colaboradores: 

"Tenho muita liberdade e confiança em trazer assuntos, abordar pontos, questionar e pedir feedbacks do meu gestor. Para mim, é essencial para minha saúde profissional que nosso relacionamento seja bom e fico muito feliz por isso."

  • Feedback é uma via de mão dupla: 

O líder é aberto a receber feedbacks e não adota uma postura defensiva. 

"[Líder] está sempre aberto para conversar, receber e dar feedback, se importa em como ta o clima no trabalho. Me sinto bem a vontade"

  • Conversas significativas e frequentes sobre o desenvolvimento de carreira do liderado:

"Muito! Minha gestora é super compreensiva, firme quando precisa ser, nos apoia e é preocupada com nosso crescimento."

  • Os líderes entendem o perfil dos liderados e estimulam o desenvolvimento de maneira personalizada:

"O Relacionamento tem melhorado cada vez mais, acho que o [líder] tem se preocupado em entender mais o perfil individual de cada um, isso na minha visão tem sido um grande diferencial."

"[Líder], tem me ajudado muito nas dificuldades que tenho passado, tanto minha vida profissional quanto pessoal, esta me dando oportunidades e novos desafios para sair da minha zona de conforto sem deixar me desmotivar, sempre me incentivando e acreditando no meu potencial, Só tenho a agradecer por ele ter entrado na nossa equipe!"

  • Liderado se sente seguro em trabalhar com uma relação de confiança com a liderança:

"Sim. Construímos uma relação de diálogo, escuta e confiança. Além disso sinto que posso contar com ele quando for preciso. Isso é fundamental para alcançar os resultados da nossa área."

"SUPER!! A [Líder] arrasa nas explicações e está sempre disponível para nos ajudar e orientar, amo a presença e atitudes dela. Eu não seria boa no que faço sem o auxílio dessa gestora maravilhosa."

'Sim, muito! O meu relacionamento com meu gestor é totalmente baseado na transparência e confiança mútua, sabemos que podemos contar um com o outro, dividimos o que pensamos e nos ajudamos da forma que da.'


Sentimento identificados

 A falta de canal de comunicação entre liderado e líder.

"Não é saudável. Me sinto mal toda vez que preciso tirar alguma dúvida sobre trabalho pq a resposta vem sempre em um tom grosseiro como se eu tivesse fazendo uma pergunta muito idiota. Sempre que tenho alguma dúvida recorro primeiro a outras pessoas da [empresa] para não precisar perguntar nada pra ele. Muitas informações sobre entrega não são esclarecidas o que gera muita dúvida e consequentemente um desconforto por não ter esse canal aberto com ele para tirar as dúvidas necessárias. Também sinto que não tenho abertura para sugerir coisas, discutir ou opinar."

"O relacionamento é saudável. O problema é que, em muitas vezes, a gestora não é acessível: ela simplesmente não responde as mensagens pelo Slack ou por qualquer outro meio. O principal motivo é a alta carga de reuniões. Isso acaba atrapalhando quando temos alguns assuntos mais urgentes e repentinos para tratar."


Microgerenciamento das atividades

"No início, eu tinha alguns receios de perguntar algumas coisas ou contrariar algumas opiniões. Vejo que hoje me sinto mais confortável para falar, tirar dúvidas, etc.

Antes também havia muita cobrança, de ficar muito em cima. Hoje mudou, tem mais espaço, se algo atrasar, uma simples conversa já se resolve na hora. Não existe mais receio por parte do gestor se o job vai ou não atrasar, porque conversa só uma vez para esclarecer o que está acontecendo, sem ficar sempre perguntando o status. O Trello ajudou bastante nisso também."


Instabilidade emocional do gestor ou gestora

"A [Líder] consegue transitar com muita facilidade entre emoções e histórias pessoais, e o momento de discutir trabalho. O que deixa a relação saudável e vai criando uma cumplicidade de nós relacionarmos enquanto seres. É bom demais!"


Favoritismo

"É um trabalho em progresso. No geral, não temos uma boa relação. Falta transparência, confiança e empatia. É difícil ter conversas em que minhas opiniões são diferentes das dele e, na maioria das vezes, sinto que sou ouvido para ser respondido e não para ser entendido. Apesar da nota e percepções, acredito que estamos trabalhando para melhorar isso. Recorrência de 1:1 (que era inexistente até um mês atrás, mesmo ambos atuando juntos por quase um ano na [empresa]) esta contribuindo positivamente. Recentemente, temos dialogado mais. Espero de verdade que isso ajude a deixar nossa relação cada vez mais saudável."