As pessoas têm uma percepção de que ganham menos do que deveriam. Por isso, a pergunta sobre adequação do salário ao mercado é uma pergunta que tem viés negativo, ou seja, o resultado desta pergunta tende a ser negativo quando comparado ao resultado de outras alavancas de engajamento. 

Super importante ao analisar o resultado da sua empresa ou do seu time, analisar esta pergunta em relação ao mercado. Se o resultado do mercado foi de 66% de sim e a sua empresa foi 70%, ainda que comparativamente a outras perguntas possa ser a que tem o pior resultado na sua empresa/time, neste caso, você está acima e não é um desafio na sua empresa. 


Outra percepção sobre essa pergunta é que há um senso comum de que salário é uma das principais alavancas para se ter pessoas engajadas. Não é! Essa alavanca está em 33ª posição dentre as alavancas de engajamento. 


Identificamos que as melhores práticas das empresas que se destacaram são:

  • Definição clara de cargos e salários feita com referência no mercado: empresas que têm uma estrutura clara de cargos e salários e se baseiam em referências do mercado atualizadas para o setor, porte e região, os colaboradores têm uma percepção maior de que há adequação ao mercado.  
  • Comunicação clara para as pessoas de qual é o total cash anual: a remuneração inclui não apenas o salário mas todos os benefícios e bônus que as pessoas recebem. Há empresas que adotam salários menores mas que têm uma estrutura agressiva de bonificação e que têm benefícios que não são praticados no mercado (auxílio estudo, auxílio home office, assistência médica e odontológica, vale alimentação e refeição acima do mercado, auxílio terapia). Importante que a empresa comunique o total cash que inclui todas essas linhas que compõem a remuneração para que as pessoas tenham uma percepção mais ajustada da remuneração comparado ao mercado.
  • Transparência das diferenças regionais de cargos e salários: há empresas que têm mesmos cargos em diferentes regiões e que comunicam com transparência que há diferenças salariais dado o custo de vida e referência de mercado de cada uma das regiões. 



Sentimentos identificados nos comentários:


As pessoas trocam ter salários menores (até 20%) desde que a cultura esteja alinhada ao seu propósito e tenham desafios de crescimento junto com a empresa:

"Quando recebi a proposta do [empresa] também estava com outra proposta na mão de uma consultoria multinacional, que estava oferencendo um salário mil reais a mais, com 14o salário e PLR a partir do 2o ano. O que, sem contar o PLR, seria 26500 reais a mais por ano. Acabei vindo para o [empresa] por causa da cultura e por ser uma start up, até então eu só havia trabalhado em multinacional. Acabei abrindo mão do salário por conta disso. A empresa da qual eu sai, eu também ganhava mais do que ganho hoje na [empresa]."

"Quando fazemos o que gostamos , tudo fica prazeiroso , independente do Salário..."

"De verdade, acredito que o salário é só o fim. Os meios, quando estão bem alinhados, são muito mais importantes."


As pessoas têm uma percepção de que o cargo oficial não corresponde ao papel que exercem: 

"Eu acredito que meu salário está compatível com o mercado para um cargo de desenvolvedor de pleno. E, de fato, eu estou na empresa oficialmente como desenvolvedor pleno. Porém, meus colegas e meus gestores me consideram um profissional sênior. Outras empresas também me fazem convites para vagas de sênior. O problema é que minha senioridade nunca é oficializada e meu salário continua como de pleno."


Colaboradores têm acesso a referências de mercado em plataforma como Glassdoor e Vagas:

"Não é, tendo em vista que a média salarial entre um cx é inicialmente de R$ 1.993,00 e vai até R$ 4.323,00 (fonte vagas), e R$ 2.664,00 (fonte glassdoor)."


Pessoas que trabalham em empresas pequenas ficam confusas com o seu papel incluir múltiplas funções que em empresas de médio e grande porte seriam exercidos por diferentes pessoas:

"Não é. Nós acumulamos diversas funções, que, em outras empresas são divididas em várias pessoas, e não recebemos o equivalente ao que trabalhamos e entregamos."